Viva la vida!

Viva la vida!
Hoje...08

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Poesia-Ataíde Lemos



Alma de mulher

Sensível como um cristal
Precioso perfume
Flor de rara beleza.
Assim é alma da mulher

Alma de mulher
É ternura e pura paixão
Que não tem travas
Nem chaves em seu coração.

Ama ao extremo,
Doa sem limites
Que não raro amar
É sinônimo de sofrer
Por viver intensamente
O amor ardente
No extremo de seu Ser.

Alma de mulher
Doce como mel
Que comumente padece
Com o amargo fel provado
Por um coração desvairado.
(Ataíde Lemos)

Beijos da amiga
Claudia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Claudia Marques

Sabe aquele amor?   Que transforma amargores  em doçuras, que é capaz de  reascender a aquela felicidade  que andava tão adormecida?  ...