Viva la vida!

Viva la vida!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Poema-Mell Glitter







MINHAS MENINAS
Dentro de mim moram duas meninas:
uma é tímida, recatada e sonhadora;
a outra, mais atiradinha,
é maliciosa,atrevida e sedutora!
A menina tímida é romântica.
Sonha com o príncipe encantado.
Acredita no amor, nas grandes paixões.
Dona de um coração apaixonado!
Já a menina danadinha,
gosta mesmo é do lobo mau,do bicho papão...
Ela vive dos prazeres carnais,
e o amor prá ela, é só uma ilusão.
Mas o melhor, é quando elas se encontram.
Então a mulher que há em mim, desperta!
E nessas horas, não sou mais nem menos,
só a medida certa!
E tudo misturado, se completa.
Doses perfeitas de paixão e sedução.
E minhas menininhas se divertem,
do bom senso à perdição!
(Mell Glitter)

Beijos da amiga
Claudia


domingo, 21 de fevereiro de 2010

Lembranças gostosas-Claudia Marques



Lembranças gostosas


O preparo do almoço em família
primos brincando numa farra
descomprometida com tudo...


O som suave do violão
a voz forte do vô, tio e tia,
numa seresta feliz


O cheiro hum... Que delícia,
um misto de assado
com o perfume da salada de fruta


Discussão? Nada...
apenas uma conversa
animada e divertida...


A noite as crianças sonolentas
ou adormecidas, despertavam ao som
do canto das pedras de víspora,
numa brincadeira aos sorrisos,
pareciam crianças, os adultos.


Dessas lembranças gostosas,
vem a certeza de que:


...como foi gostosa minha infância...
(Claudia Marques)


Beijos da amiga
Claudia

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Poema-Gustavo Drummond


AH! ESSE AMOR...
feito de matéria estranha,
volátil, versátil.
viciante, contagiante,
inebria, contagia.
se espalha em parabólas,
paranóias.
enreda em teias consistentes.
desafia arquétipos,
tabus,
lendas.
um frescor que se eterniza.
choque de lábios
encontro de almas
e corpos.
chuva exterior,
rócio perene.
fazer amor
sob cometas.
transgride,
avança,
afronta,
desafia.
lança
e alvo.
lírios lirícos,
versos brancos.
riacho de resina,
mulher-menina,
jovem-homem.
comem
do mesmo prato,
bebem do mesmo sumo.
encenam
idênticos sonhos,
entre gemidos, sussurros.
um gosto de caramelo,
aroma de delícia.
habitam mesmo castelo,
ardem em igual fogueira!
(gustavo Drummond)

Beijos da amiga
Claudia


Música- Zé Geraldo Cidadão




Tá vendo aquele edifício moço?
Ajudei a levantar
Foi um tempo de aflição
Eram quatro condução
Duas pra ir, duas pra voltar
Hoje depois dele pronto
olho pra cima e fico tonto
Mas me chega um cidadão
e me diz desconfiado, tu tá aí admirado
ou tá querendo roubar?
Meu domingo tá perdido
vou pra casa entristecido
Dá vontade de beber
E pra aumentar o meu tédio
eu nem posso olhar pro prédio
que eu ajudei a fazer
Tá vendo aquele colégio moço?
Eu também trabalhei lá
Lá eu quase me arrebento
Pus a massa fiz cimento
Ajudei a rebocar
Minha filha inocente
vem pra mim toda contente
Pai vou me matricular
Mas me diz um cidadão
Criança de pé no chão
aqui não pode estudar
Esta dor doeu mais forte
por que que eu deixei o norte
eu me pus a me dizer
Lá a seca castigava mas o pouco que eu plantava
tinha direito a colher
Tá vendo aquela igreja moço?
Onde o padre diz amém
Pus o sino e o badalo
Enchi minha mão de calo
Lá eu trabalhei também
Lá sim valeu a pena
Tem quermesse, tem novena
e o padre me deixa entrar
Foi lá que Cristo me disse
Rapaz deixe de tolice
não se deixe amedrontar
Fui eu quem criou a terra
enchi o rio fiz a serra
Não deixei nada faltar
Hoje o homem criou asas
e na maioria das casas
Eu também não posso entrar
Fui eu quem criou a terra
enchi o rio fiz a serra
Não deixei nada faltar
Hoje o homem criou asas
e na maioria das casas
Eu também não posso entrar...

Beijos da amiga
Claudia

Poema-Pablo Neruda



Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
nascem e morrem tanta vez enquanto vivem,
são eternos como é a natureza.

(Pablo Neruda)

Beijos da amiga
Claudia

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Reflexão-Mário Quintana




...Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.
Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...
Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer ...
Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...
Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom...
Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...
Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."
Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim...
Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos
todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito...
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas
as nossas loucuras...
Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.

(Mário Quintana)

Beijos da amiga
Claudia

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Poema- joão m. jacinto



Espero que um outro Maio,
mas com gosto a Abril,
ou que um outro Abril,
de esperanças de (re)começo,
se cumpra
por ordem dos ciclos,
e faça de todos nós
inteira primavera,
e possamos todos de pé,
desenhar outro caminho
floridos de humanidade,
(re)construídos de sentido...
A mudança espreita,
lá, do fundo da noite,
encoberta,
como trovão por retumbar,
impelida de (r)evolução.
Abalarão todas as estruturas,
e o poder
dos arrogantes,
dos auto-indulgentes,
simplesmente ruirá,
assim como todas as dores,
males
e (des)enganos,
dos infelizes
terão o seu terminus...
Será outro,
e breve,
o refrão,
deste Lusitano fado,
a ser cantado:
Portugal, Portugal, Portugal!

(joão m. jacinto)

Beijos da amiga
Claudia

Espero que um outro Maio,
mas com gosto a Abril,
ou que um outro Abril,
de esperanças de (re)começo,
se cumpra
por ordem dos ciclos,
e faça de todos nós
inteira primavera,
e possamos todos de pé,
desenhar outro caminho
floridos de humanidade,
(re)construídos de sentido...
A mudança espreita,
lá, do fundo da noite,
encoberta,
como trovão por retumbar,
impelida de (r)evolução.
Abalarão todas as estruturas,
e o poder
dos arrogantes,
dos auto-indulgentes,
simplesmente ruirá,
assim como todas as dores,
males
e (des)enganos,
dos infelizes
terão o seu terminus...
Será outro,
e breve,
o refrão,
deste Lusitano fado,
a ser cantado:
Portugal, Portugal, Portugal!

(joão m. jacinto)

Beijos da amiga
Claudia

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Poema-Paty Padilha


O Amor de uma Mulher

Quando uma mulher está amando
Ela se sente linda,
Sua beleza, tão natural,
Tem o poder de se exceder
Seu olhar se transforma
Sua sensualidade aflora
Um sorriso largo a ilumina
E é tão gostoso amar,
Com esse Doce Amor
Ser capaz de sonhar...
Sem limites, sem pudor,
Com fome de paixão
Vivendo a plenitude
Desse, delicioso querer.
E deixar-se levar
Pela fantasia...
E, mesmo não sendo amada,
A mulher é soberana
A dor que brota em seu peito...
Também é a faz curar
Sangra e cicatriza
Fortalecendo seu coração
(Paty Padilha)

bjos da amiga
Claudia

Poema-amaropereira


*
“Segredos de amor”
.
Segredos de amor
E mistérios do coração
Loucuras que fazemos
Extrapolando a razão
.
Fazemos o lícito e o proibido
Nesse jogo da paixão
Procuramos desvendar os mistérios
No mundo da fantasia e da ilusão
.
Desse louco amor
Que às vezes eu sou o vilão
No seu contexto geral
Tenho que ser o seu guardião
.
Amo fazer amor
Nesse cenário misterioso
De desejos e segredos
Nos nossos momentos de nobreza
Fazemos do nosso ninho de amor
O Nosso forte... A nossa fortaleza
.
(amaropereira)
Beijos da amiga
Claudia

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Poema-Ataíde Lemos


Poesia; minha metade

Quando te conheci, foi amor a primeira vista
Ah! como não percebi que eras parte de mim?
Como fui ser tão ingênuo de sentimento assim?
Não importa, ao surgir tornou-se minha alegria.

Hoje não vivo um instante sem você ao meu lado
Tornou-se meu ar. É a metade que compõe meu Ser
Em você deságuo minha alegria, meu entristecer
Não sinto mais sozinho, pois em ti tudo desabo.

Sempre surge quando estou ouvindo uma canção
Ou ao contemplar toda a beleza da criação
Quando estou feliz ou triste precisando-me desabafar.

Vem surgindo de mansinha em forma de versos
Através da inspiração percorro o mundo da fantasia
Aos que não conhecem, apresento-te, falo da Poesia.

(Ataíde Lemos)

Beijos da amiga
Claudia

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Sagitário-Sirlei L. Passolongo

Sagitário

Sagitariano é assim
Um desastrado apaixonado
De coração doce
Mas grito forte
De alma sincera
Mas é uma fera
se lhe provocam
Ama de verdade
Até um novo amor surgir
Se entrega sem regras
Para o amigo fazer sorrir
No seu coração a mágoa
Não faz casa... Briga fácil
Perdoa mais fácil ainda
Às vezes, ele é insano
Outras vezes, todo zen
Tenha um sagitariano por perto
E verás a alegria que a vida tem.

(Sirlei L. Passolongo)

Beijos da amiga
Claudia

Poema-Sirlei L. Passolongo



Sou eu
que te rouba
os sentidos

que te lê
os pensamentos
e sabe
apenas no olhar
como estão
teus sentimentos

sou eu
que entende
os teus problemas
decanta o teu corpo
como se fossem
os versos
de um poema

sou eu
que vive
no teu sonho
e te deixa pensar
que és meu dono

porque você
é a pessoa
que eu amo.

(Sirlei L. Passolongo)

beijos da amiga
Claudia

Tão eu...

Beijos da amiga Claudia