sábado, 8 de agosto de 2009



Meu Pai!
Faço da tua ausência
uma oração silenciosa,
um canto contrito, quieto, sem sons
Sou um pequeno relicário de ti
fiel escudeira das tuas palavras
protegida no seio da saudade
Recebi de ti os mais belos sonetos
sublimados na tua voz,
trilhei teus passose nessa vida transitória
derramei lagrimas de lírios na canção
que tu divinizaste
com a graça da tua mão.
(Conceição Bentes)
Esse poema foi dedicado
(Orlando Bentes).


bjos da amiga
Claudia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anderson Marques

Buscai em seu interior todo e qualquer motivo para não seguir em frente e o destino lhe provará que o maior dos equívocos é ac...